1 of 20
2 of 20
3 of 20
4 of 20
5 of 20
6 of 20
7 of 20
8 of 20
9 of 20
10 of 20
11 of 20
12 of 20
13 of 20
14 of 20
15 of 20
16 of 20
17 of 20
18 of 20
19 of 20
20 of 20

site

doc

blog

success stories

Blog

Transformação digital: migre para o edge em 5 passos

Introdução

A transformação digital tem sido um dos termos mais debatidos há algum tempo. E esse debate não é em vão. Atualmente, qualquer negócio, em qualquer setor, deve contar fortemente com sua infraestrutura tecnológica para se manter na vanguarda e competir no mercado. No entanto, nem todo mundo sabe quais ferramentas ou modelos escolher. Isso muitas vezes leva à manutenção de estruturas legadas, atrasando indefinidamente o processo de renovação digital ou fazendo um investimento em ferramentas que não atendem às necessidades. Isso tudo significa ficar para trás nesta corrida tão exaustiva.

Neste artigo, vamos ajudar você a definir seu plano de transformação digital e contar sobre as vantagens de usar uma plataforma de edge computing, como a da Azion, além de escolher um provedor que seja um verdadeiro parceiro nesse processo.

Como migrar para o edge em 5 passos

Hoje em dia, não basta ter presença digital; você deve proporcionar aos seus usuários experiências ótimas e sem falhas nas quais a velocidade, disponibilidade e inovação se destacam como fatores chaves para a retenção e evitam que eles decidam optar pela concorrência. O planejamento, aliado a uma boa pesquisa, será fundamental para definir sua nova infraestrutura e os provedores com os quais você vai trabalhar neste processo de apostar na transformação digital.

Se você está atualmente em um estágio de transformação tecnológica, seu próximo plano é atualizar sua infraestrutura. Cloud computing ou edge computing? Implementações híbridas ou locais? Com tantas opções, pode ser difícil saber qual é a melhor para seu negócio.

Nesse sentido, uma plataforma de edge computing é uma alternativa à cloud computing capaz de oferecer funcionalidades e vantagens para acelerar a transformação digital de seu negócio. Esse modelo computacional usa uma arquitetura descentralizada, automatizada e distribuída, localizada no edge da rede. Ao colocar uma quantidade maior de recursos mais próximos dos usuários, a latência diminui, o tempo de resposta melhora, a escalabilidade é facilitada e a confiabilidade é ampliada. Além disso, uma plataforma serverless, como a da Azion, que escala automaticamente, elimina a necessidade de provisionar recursos, reduz os custos iniciais e o desperdício de recursos, enquanto permite que sua equipe dedique mais tempo inovando e menos tempo em tarefas rotineiras de gerenciamento.

Mas vamos passo a passo…

Crie um plano para a implementação

A primeira coisa que você deve definir é seu objetivo com esse processo de transformação digital e como isso vai refletir na experiência de usuário que você oferece aos clientes; entender melhor seus usuários, seus interesses, comportamentos e necessidades é importante para essa etapa. É provável que você já tenha ouvido falar sobre análise de dados, inteligência digital e outras práticas que ajudam nessa tarefa. Por outro lado, você também deve considerar como essa mudança pode agilizar suas operações e facilitar o trabalho da sua equipe.

Uma boa estratégia para resolver essas questões é pensar em possíveis problemas ou casos de uso e definir uma solução para cada um deles, por meio de uma inovação ou ferramenta tecnológica específica. Dessa forma, você vai saber quais mudanças devem ser feitas para que sua infraestrutura atenda às demandas internas e externas. Lembre-se que é importante definir o orçamento e os prazos, assim como as etapas e as equipes responsáveis, para concluir o projeto.

Defina uma estratégia de implementação

Se você já sabe como a tecnologia pode ajudá-lo a atingir seus objetivos, é hora de começar a projetar uma estrutura que inclua todos esses elementos. Nesse passo, também é importante lembrar que não apenas os modelos computacionais e as ferramentas tecnológicas evoluíram. A forma como as as aplicações modernas são construídas — o meio pelos quais o conteúdo é entregue aos usuários — passou de monolítica para o uso de microsserviços que oferecem maior flexibilidade e são compostos por elementos que executam uma única tarefa, facilitando sua escalabilidade, atualização, configuração e interação por meio de API.

Nessa etapa você pode refletir sobre sua realidade: será necessário renovar toda a estrutura? Será suficiente atualizar certos elementos? Como você pode integrar soluções de última geração na sua plataforma? Neste caso, a ideia é priorizar diferentes necessidades e definir soluções. As mudanças não precisam ser radicais; algumas podem ser progressivas, ajudando a organizar as suas operações e também o seu orçamento.

Benchmarking: analise o mercado para escolher o seu provedor

A Gartner, em seu relatório Choose the Right Digital Commerce Platform Architecture[1], afirma que “as decisões sobre a arquitetura da plataforma de e-commerce q tomadas sem um alinhamento com os resultados comerciais podem criar desafios, incluindo:

  • Abandono da implementação ou mudança de parceiros de desenvolvimento durante a implementação.
  • Aumento significativo dos custos à medida que os requisitos emergentes introduzem aumento do escopo do projeto.
  • Os usuários comerciais não obtêm as ferramentas adequadas para administrar o canal, o que gera dores de cabeça operacionais”.

Todos esses desafios podem atrasar e complicar significativamente seu projeto, além de aumentar os custos e afetar sua disponibilidade e experiência de seus usuários. Para evitar um cenário com tantos obstáculos, escolher o provedor certo é fundamental para o sucesso do projeto.

Nessa etapa, o foco é avaliar quais provedores podem oferecer a plataforma e ferramentas que você precisa para atender às necessidades de seu plano de transformação digital e, com base nessa análise, tomar a decisão final. Estas são algumas características e funcionalidades que você deve levar em conta ao analisar seus possíveis provedores de edge computing:

  • Escalabilidade da plataforma: a capacidade de alinhar o uso de recursos com a demanda para evitar o provisionamento excessivo ou a falta de recursos.
  • Desempenho geral e confiabilidade: para garantir que suas aplicações possam continuar funcionando, inclusive em cenários de falhas ou ataques, a recomendação é revisar o acordo de serviço (SLA) para saber o que cada provedor oferece.
  • Uma alta distribuição geográfica e localização estratégica: uma plataforma descentralizada e distribuída aproxima você dos usuários, sendo uma forma de acelerar a entrega de conteúdo e melhorar o desempenho.
  • Modelo serverless: o provedor é responsável pelas tarefas operacionais, de manutenção e gerenciamento da plataforma e da rede, portanto, você só tem que se preocupar em desenvolver seus produtos e atender seus usuários.
  • Interoperabilidade e padrões abertos: atualmente, uma plataforma precisa oferecer pouca complexidade para ser integrada com sistemas de terceiros e dessa forma evitar o vendor lock-in, ou dependência de um único provedor.
  • Ferramentas modernas e customizáveis: para garantir que você esteja usando a tecnologia mais recente e a adaptação às suas necessidades específicas.
  • Modularidade para ativar e desativar funções: um sistema modular permite que você tenha liberdade de usar apenas as funções e ferramentas necessárias, de acordo com a demanda do momento e com o que você precisa desenvolver na plataforma.
  • Segurança com uma abordagem zero-trust: a segurança é uma questão fundamental na escolha de um provedor. Escolha um que possa oferecer segurança multicamadas e perímetros no edge da rede, evitando que sua origem seja afetada.
  • Rápida implementação e migração: a possibilidade de implementar e começar a usar sua nova plataforma rapidamente facilita o processo de transformação digital e agiliza o fluxo de trabalho de sua equipe.

Migre suas aplicações e sites para o edge

Empresas líderes em consultoria no setor de tecnologia, como Gartner e IDC, consideram que edge computing é uma das principais 10 tendências que impactam tanto na infraestrutura quanto nas operações, o que a torna a solução mais moderna para implementar, expandir ou otimizar sua infraestrutura.

Se você escolheu uma plataforma de edge computing, como a da Azion, e todo seu plano funcionou perfeitamente até agora, o próximo passo é migrar suas aplicações e sites para o edge, além de começar a desenvolver suas próprias edge functions e edge applications. Para fazer isso de forma impecável, é importante contar com a ajuda e o suporte de seu novo parceiro em cada etapa do processo.

No caso da Azion, além de um rápido processo de migração e suporte o tempo todo, nossa plataforma é amigável para os desenvolvedores, tornando as tarefas dessa fase mais simples. Por exemplo, um dos nossos casos de sucesso é NZN, uma das criadoras de conteúdo mais significativos no Brasil. Graças à Plataforma de Edge Computing da Azion e sua facilidade de uso, a NZN conseguiu desenvolver mais de 100 edge applications e reduzir em 50% o tempo de carregamento em apenas um mês.

Construa uma parceria de longo prazo

A transformação digital não finaliza com a implementação da nova plataforma. A partir de agora, seu ótimo desempenho dependerá do cumprimento das tarefas diárias, bem como da rápida solução de qualquer problema que possa afetá-la. Nesse sentido, é importante ter o apoio do provedor e, dessa forma, construir um relacionamento colaborativo de longo prazo.

Antes de contratar um serviço, conheça os planos de suporte, os benefícios e o alcance que são oferecidos. Isso garante que você tenha um parceiro, e também um aliado, em todos os momentos e permite que você possa aproveitar todos os benefícios de uma plataforma de edge na prática. Além das características técnicas que mencionamos anteriormente, um provedor de edge computing, como Azion, proporcionará a você:

  • Serviço de suporte permanente: com uma equipe de especialistas que vai ajudar você a resolver quaisquer problemas ou falhas no sistema, que você pode acessar através de vários canais e com disponibilidade garantida de acordo com o nível de suporte contratado.
  • Proteção e mitigação de ciberataques: o provedor é capaz de criar um plano que inclui um perímetro de segurança multicamada, usando recursos modernos como Web Application Firewall, Network Layer e DDoS Protection.
  • Transparência e observabilidade: para monitorar o funcionamento de seu sistema e assim poder gerar insights valiosos para tomar as melhores decisões para seu negócio.

Quer saber tudo o que a Plataforma de Edge Computing da Azion tem para você? Você pode criar uma conta gratuita para começar a testar nossos produtos ou contatar nossa equipe de vendas para criar seu plano de transformação digital e migrar para o edge hoje mesmo.

Referências:

[1]Lowndes, M. & Vasudevan, A. (2021) Choose the Right Digital Commerce Platform Architecture. Stamford, CT: Gartner.