1 of 20
2 of 20
3 of 20
4 of 20
5 of 20
6 of 20
7 of 20
8 of 20
9 of 20
10 of 20
11 of 20
12 of 20
13 of 20
14 of 20
15 of 20
16 of 20
17 of 20
18 of 20
19 of 20
20 of 20

site

doc

blog

success stories

Blog

Três maneiras de melhorar seu e-commerce com Edge Computing

À medida que o comércio eletrônico se torna cada vez mais popular entre os consumidores na hora das compras, as empresas devem encontrar maneiras novas e inovadoras de melhorar os seus sites a fim de se manterem competitivas. Por fornecer velocidade, maior disponibilidade, análises em tempo real e segurança da última milha, edge computing consegue proporcionar uma vantagem competitiva aos varejistas. Este post examinará os benefícios de edge computing e como utilizá-lo para atender a três necessidades fundamentais das empresas de e-commerce: alto desempenho, experiências personalizadas e construção de confiança com os clientes.

O que é Edge Computing?

O Open Glossary of Edge Computing define edge computing como “entrega de capacidades de computação aos extremos lógicos de uma rede […] ao encurtar a distância entre os dispositivos e os recursos de cloud que os atendem, e também ao reduzir os saltos (hops) na rede.”

Assim como em cloud computing, os recursos de edge computing são virtualizados e altamente escaláveis, tornando-os ideais para arquitetura cloud-native, como microsserviços e serverless. No entanto, ao contrário de cloud computing, edge computing coloca os recursos computacionais em uma constelação de pontos geograficamente distribuídos, em vez de concentrar seus recursos de computação em um grupo de locais centralizados. Essa configuração espacial resulta em uma série de vantagens essenciais, como:

  • menor latência;
  • maior disponibilidade;
  • análises em tempo real;
  • uso otimizado de recursos;
  • segurança da última milha.

Cada um desses benefícios representa uma melhoria tangível que pode não apenas aperfeiçoar e transformar os sites, mas também ajudar o e-commerce a melhorar as conversões e manter a fidelidade do cliente. À medida que o e-commerce se torna cada vez mais competitivo e as expectativas dos clientes continuam aumentando, é crucial que os sites e aplicações de varejo encantem com alto desempenho, capacidade de resposta e construção da confiança do cliente.

Melhorando o desempenho

Conforme o monitoramento e análise do comportamento dos clientes foram se tornando cada vez mais frequentes, um fato ficou muito evidente: a importância do desempenho. Um dos maiores relatórios sobre como a velocidade impacta o e-commerce é o “Milliseconds Make Millions”, um estudo de 2020 realizado pelo Google em conjunto com a Deloitte. Esse trabalho acompanhou o desempenho móvel de 37 marcas nos EUA e na Europa para determinar seu efeito nos resultados financeiros das empresas. O estudo concluiu que mesmo uma melhora de 0,1s na velocidade aumentou o envolvimento do cliente em todos os níveis, incluindo:

  • um aumento de 8,4% nas conversões de varejo;
  • um aumento de 9,2% no valor do pedido;
  • um aumento de 5,7% no bounce rate para páginas de lista de produtos;
  • um aumento de 5,2% no envolvimento do cliente varejista.

No entanto, devido à falta de problemas relatados pelos usuários sobre os sites, pode ser difícil retificar ou até mesmo entender os pain points dos clientes. De acordo com o relatório App Attention Index de 2019 da Cisco e da AppDynamics, “83% dos clientes provavelmente terão problemas com serviços digitais sem notificar a marca, nem lhes dar a chance de consertar os incidentes”.

O App Attention Index observou em sua pesquisa que, depois de uma experiência ruim, os clientes estão “agora muito mais propensos a tomar medidas decisivas, como excluir os aplicativos, recorrer à concorrência e compartilhar suas experiências negativas em todos os lugares”. Essa descoberta serve como uma advertência e um alerta aos varejistas sobre a importância da experiência do cliente. Portanto, a fim de evitar a perda permanente de clientes e danos à reputação de sua marca, as empresas devem tomar medidas proativas a fim de melhorar o desempenho com maior largura de banda, menor latência e maior tolerância a falhas.

Nesse sentido, edge computing pode ajudar, já que reduz a distância do percurso da entrega de dados e transfere o processamento para mais perto dos usuários finais, diminuindo a latência e o congestionamento do tráfego. Além disso, proporciona a redução dos pontos de falha na rede e alivia a carga na infraestrutura de origem do varejista. Como resultado, a entrega de conteúdo e a disponibilidade da loja online ficam rápidas e garantidas.

Analytics

A coleta e análise de dados sobre como os usuários interagem com sites de e-commerce é vital para atender às necessidades dos clientes. Além de ajudar os desenvolvedores a monitorar e a solucionar problemas de desempenho das aplicações, as ferramentas de analytics podem exercer um papel importante em relação ao desempenho das vendas de e-commerce ao fornecer aos sites respostas a questões-chave, como:

  • Quais itens estão ganhando (ou perdendo) dinheiro?
  • Quem é o público-alvo dos diferentes produtos?
  • Como os compradores deveriam ser segmentados para anúncios ou ofertas específicas?
  • Quais produtos deveriam entrar para upsell ou cross-promotion?

Os dados do cliente, contudo, só serão um asset se forem econômicos e imediatamente processados quando obtidos. Sendo assim, possuir métricas sobre a probabilidade de um cliente comprar um determinado produto só será útil enquanto ele estiver navegando em um site; se os dados não puderem ser coletados, analisados, de forma a definir ações nesse período de tempo, eles se tornam inúteis. Do mesmo modo, quanto mais caro for a coleta e análise de dados, menor será o retorno do investimento. Como resultado, o envio de grandes quantidades de dados de e para cloud limitaria sua utilidade, além de ser excessivamente caro.

É por esse motivo que edge computing desempenha um papel fundamental ao fornecer às empresas de e-commerce insights economicamente eficientes e em tempo real sobre o comportamento dos clientes. Conforme o relatório 2020 State of the Edge da LFE, a edge computing “evitará muitos atrasos, custos e as complexidades de enviar todos os dados coletados de volta a um local centralizado para processamento”.

Personalização

O conteúdo que é personalizado de acordo com os gostos, localização, histórico de compras e outros índices específicos do cliente não é apenas necessário para upsell e venda cruzada – está se tornando cada vez mais uma marca registrada de uma experiência positiva do cliente. O relatório do App Attention Index de 2019 indica que os consumidores esperam cada vez mais que o conteúdo seja adaptado de acordo com seus interesses, sendo que 70% deles esperam que esse conteúdo online seja mais personalizado do que as experiências presenciais. No entanto, equilibrar a necessidade de alto desempenho com o desejo de personalização pode ser complicado. Embora o conteúdo estático possa ser armazenado em cache por CDNs, o conteúdo altamente personalizado é dinâmico, exigindo que os dados percorram longos trajetos de e para cloud para seu processamento. Com capacidade de armazenamento dinâmico em cache, edge computing permite personalização entregue com o mesmo alto desempenho do conteúdo estático.

Agilidade

Talvez a ferramenta mais importante que possa ser usada para atender às necessidades dos clientes seja a agilidade. A capacidade de adicionar rapidamente novos recursos e funcionalidades permite às empresas testarem várias versões de um site ou aplicação, possibilitando-lhes agilizar o processo de compra e checkout, e adicionar recursos que melhoram a experiência do cliente, como métodos de pagamento populares ou assinaturas digitais.

As empresas podem ganhar essa agilidade adotando arquiteturas de aplicações modernas, como serverless computing ou microsserviços, que atomizam aplicações monolíticas em unidades menores que podem ser implementadas e escaladas independentemente. Essas arquiteturas edge-native permitem que as aplicações sejam projetadas desde o início, de maneira que funções ou microsserviços mais sensíveis à latência possam ser executados mais perto do edge, ao mesmo tempo permitindo que pesados workloads sejam escalados para cloud.

Construindo confiança

Aumentando a segurança

Manter as informações dos clientes confidenciais e seguras é fundamental para construir confiança. Os vazamentos de dados, malware e fraude podem prejudicar a reputação de uma marca. Além disso, os ataques de ransomware e DDoS, que resultam em interrupções no serviço, não apenas danificam a imagem da empresa, mas também podem resultar em mais prejuízos, tais como a perda de oportunidades de receita de clientes legítimos que não conseguem acessar o site.

Os custos dos ataques cibernéticos podem incluir:

  • pagamento de ransomware;
  • perda de clientes e oportunidades de negócios;
  • penalidades legais ou regulatórias;
  • altas taxas de uso devido ao aumento do tráfego DDoS;
  • custo de reconstrução de operações destruídas ou danificadas;
  • perda de propriedade intelectual

Edge computing pode ajudar a mitigar os danos e custos associados às violações de segurança, ao fornecer segurança da última milha, filtrando o tráfego malicioso antes que ele alcance a infraestrutura de origem da empresa. Mais do que isso, empresas de edge computing, como a Azion, oferecem ferramentas de segurança zero-trust projetadas para aplicações modernas de microsserviços e uma base de usuários móveis – substituindo o sistema ultrapassado de um perímetro corporativo por um sistema que protege workloads, usuários e redes geograficamente distribuídos.

Promovendo transparência

As compras online são diferentes do varejo tradicional porque os compradores não podem examinar fisicamente os produtos que estão comprando. Consequentemente, o e-commerce deve construir a confiança de que estão representando os produtos com precisão. Imagens e vídeos de alta definição não somente mostram os produtos do varejista, mas também fornecem informações úteis, como o modo de usar ou montar determinado produto após a compra.

Um artigo de 2020 da Central de Recursos de Negócios do PayPal apontou que “comerciantes de e-commerce de muitos setores relatam que os vídeos funcionam, notando como efeitos positivos o maior tempo de permanência em seus sites e o aumento nas conversões, por exemplo. Os vídeos de produtos voltados aos benefícios são um bom começo, assim como os vídeos com instruções de uso são populares para comerciantes de produtos de tecnologia e eletrônicos. ”

Imagens e vídeos de alta qualidade, no entanto, podem usar recursos significativos, consumindo largura de banda e elevando o custo de cada exibição de página. Edge computing tem a capacidade de não apenas minimizar o uso da largura de banda, reduzindo a distância que os dados precisam percorrer, mas também a de otimizar imagens para vários dispositivos e tamanhos de tela, proporcionando uma grande vantagem sobre os CDNs tradicionais que só armazenam em cache e fornecem conteúdo estático.

Conclusão

Concluindo, edge computing pode ajudar a impulsionar as vendas de e-commerce através de:

  • ganho de velocidade, que aumenta o tamanho do pedido, o bounce rate, as conversões e o engajamento;
  • análises em tempo real para segmentar compradores e adequar as ofertas de acordo com seus gostos;
  • a capacidade de personalizar sites de acordo com a localização, preferências e histórico de compras do usuário;
  • segurança localizada que protege a infraestrutura da origem contra ataques cibernéticos;
  • imagens e vídeos de alta definição entregues com menor custo e largura de banda.

A plataforma de Edge Computing da Azion não só oferece esses benefícios, mas também aumenta ainda mais a economia de custos por meio de serverless computing. Isso significa que através de um modelo de serverless computing, os clientes pagam apenas pelos recursos que usam, em vez de provisionar antecipadamente. Dessa forma, eliminam o overhead causado pelo desperdício de recursos e reduzem a barreira de entrada. Ao contrário, as tarefas de back-end como o gerenciamento de recursos, por exemplo, são realizadas pela Azion, liberando as empresas para se concentrarem no aprimoramento da experiência do cliente (CX).

A plataforma de Edge Computing da Azion inclui um conjunto de produtos de edge computing que podem ajudar o e-commerce a aperfeiçoar suas aplicações:

  • Edge Functions: permite que você execute testes A/B, lance novas funcionalidades rapidamente e faça alterações facilmente a fim de se adaptar ao feedback do usuário;
  • Edge Application: pode acelerar aplicações, otimizar imagens, armazenar conteúdo dinâmico em cache e fazer o load balance em sua origem para melhorar o desempenho e a confiabilidade;
  • Edge Firewall: permite uma política de zero-trust com conjuntos de regras personalizados para proteger aplicações e redes de uma variedade de ameaças, como os ataques DDoS ou OWASP Top 10;
  • Edge Analytics: proporciona monitoramento em tempo real do comportamento do usuário e do desempenho da aplicação, e ainda se integra ao seu Big Data, SIEM ou serviço de armazenamento.

A Azion conta com a confiança de grandes empresas de e-commerce em todo o mundo, incluindo a Lojas Renner, maior loja de varejo de roupas do Brasil. Por meio da parceria com a Azion, a Renner vem apresentando os seguintes resultados:

  • retenção do crescimento na casa dos três dígitos nas vendas online;
  • aumento de downloads do aplicativo em mais de 250%;
  • capacidade de lidar com picos de acesso da Black Friday de 13.000 requisições por segundo;
  • acréscimo nas conversões de vendas;
  • melhoria no tráfego orgânico e o desempenho de SEO.

Para entender mais sobre como a Azion pode melhorar o desempenho do e-commerce, conheça ahistória de sucesso da Renner na íntegra, ou entre em contato com nossa equipe devendas para saber se a plataforma Edge Computing da Azion é adequada para você.