1 of 20
2 of 20
3 of 20
4 of 20
5 of 20
6 of 20
7 of 20
8 of 20
9 of 20
10 of 20
11 of 20
12 of 20
13 of 20
14 of 20
15 of 20
16 of 20
17 of 20
18 of 20
19 of 20
20 of 20

site

doc

blog

success stories

Blog

Green Computing: reduza o consumo de energia com a Azion

Green Computing: reduza o consumo de energia com a Azion

Se você está procurando um motivo para comemorar o Dia da Terra, considere o seguinte: apesar do aumento constante dos dispositivos conectados à internet e do consumo de dados, as iniciativas de green computing em todo o setor de tecnologia conseguiram evitar um aumento correspondente no consumo de energia.

Isso, porém, não significa que as empresas devam parar de fazer sua parte para reduzir sua emissão de CO2. Pelo contrário, como as novas tecnologias continuam proporcionando mais conectividade do que nunca, torna-se cada vez mais importante que as empresas compensem e reduzam significativamente seu uso de recursos através de iniciativas de green computing.

Este post analisará a green computing e as tecnologias da informação e comunicação (TIC) sustentáveis, abordando o surgimento dessa prática e medidas que reduzem o consumo de recursos. Além de explicar como a Azion está tomando medidas progressivas para minimizar seu consumo e uso de energia por meio de sua arquitetura e produtos como Edge Computing, Serverless Computing e outras tecnologias avançadas.

O que é Green Computing?

De acordo com Technopedia, a green computing é definida como um grupo de medidas que melhoram a TI através de “práticas de produção ambientalmente sustentáveis, computadores eficazes em relação ao consumo de energia e melhores procedimentos de descarte e reciclagem”. O texto classifica esta ampla gama de práticas em quatro categorias:

  • uso ecológico: diminuição do consumo de energia de computadores e equipamentos de TI;
  • descarte ecológico: reciclagem, reuso ou descarte adequado de equipamentos indesejados;
  • design ecológico: melhoria no design dos dispositivos para torná-los mais eficientes em termos de energia;
  • fabricação ecológica: diminuição do desperdício de fabricação para redução do impacto ambiental.

Green Computing é uma das formas pela qual as empresas podem cumprir suas metas ambientais, sociais e de gestão corporativa (ESG) – do inglês Environmental, Social, Governance . A Investopedia define ESG como “um conjunto de padrões para operações de uma empresa que investidores socialmente conscientes usam para avaliar os investimentos potenciais”. As três áreas de interesse incluem impacto ambiental, compromisso com os valores sociais e gestão ética. De acordo com a Investopedia, “os critérios ambientais podem incluir o uso de energia, resíduos, poluição, conservação de recursos naturais e tratamento de animais de uma empresa”.

Outro termo relacionado, TICs sustentáveis, analisa maneiras pelas quais a própria TI pode ser usada para o avanço das iniciativas ambientais. Um exemplo disso é como edge computing e 5G estão sendo usados para criar medidores inteligentes que mensuram o uso de recursos como água e eletricidade, a fim de minimizar o uso e maximizar a eficiência dos mesmos.

Quais são as vantagens da Green Computing?

À medida que avançamos em direção a um mundo globalizado e conectado, as vantagens de proteger o planeta e buscar a sustentabilidade ambiental não podem ser deixadas de lado. Portanto, melhorar a conectividade é uma ferramenta incrível para mudança, mas quanto mais conectados nos tornamos, mais recursos produzimos e consumimos. Na verdade, um estudo da revista Nature previu que, com as tendências atuais de uso, a tecnologia da informação e comunicação poderia aumentar de 2% de todas as emissões globais em 2018 para 8% a 21% em 2030.

Além dos benefícios ambientais óbvios, a green computing também traz uma série de vantagens para as próprias empresas que a utilizam, especialmente porque as práticas de negócio ambientalmente responsáveis são recompensadas tanto pelos consumidores como por investidores e governos. De acordo com o artigo da Thoughtworks, 50% do crescimento dos bens de consumo nos últimos cinco anos foi proveniente de produtos ecológicos e 70% dos funcionários disseram que são mais propensos a trabalhar em uma empresa com uma agenda ecologicamente correta. Consequentemente, as empresas com iniciativas de sustentabilidade têm um desempenho superior em ações a longo prazo em comparação com aquelas que não têm. Além disso, as mesmas medidas que melhoram a eficiência de recursos, tais como a redução de grandes arquivos e caching, melhoram o desempenho das aplicações. O artigo inclui uma lista de benefícios que a green computing pode proporcionar, como por exemplo:

  • alcance de metas de sustentabilidade;
  • redução dos custos de infraestrutura;
  • otimização do desempenho de aplicações;
  • aceleração dos ciclos de desenvolvimento com código eficiente;
  • satisfação de investidores com consciência ecológica;
  • captação e retenção de talentos com consciência ecológica.

Como as empresas digitais podem se tornar ecologicamente corretas?

Embora a decisão de se tornar ecologicamente correto possa ser óbvia para muitas empresas, o caminho em direção à sustentabilidade pode ser menos evidente. Em última análise, empresas e fornecedores têm a responsabilidade compartilhada de melhorar a sustentabilidade, reduzindo as fontes de uso, que podem ser divididas em quatro áreas:

  • servidores;
  • energia e resfriamento;
  • rede;
  • unidades de armazenamento.

Felizmente, à medida que a tecnologia se torna mais sofisticada, a eficiência de cada uma dessas áreas tem melhorado consideravelmente.

Servidores

Segundo um artigo de 2020 da Wired, de 2010 a 2018, “um servidor típico usa aproximadamente um quarto de energia, e é preciso aproximadamente um nono para armazenar um terabyte de dados”. A movimentação de servidores para fora dos data centers locais e a inserção deles para cloud e edge tem permitido um uso de recursos virtuais e flexíveis que melhoram a eficiência dos servidores e, como resultado, reduzem a energia e o resfriamento que são necessários para mantê-los em funcionamento.

Energia e resfriamento

É importante ressaltar que os próprios métodos de energia e resfriamento se tornaram mais eficientes. Os data centers em cloud em hiperescala usam cada vez mais energia renovável e métodos inovadores, como por exemplo: o calor residual reciclado e data centers submersos. Além disso, conforme explicado em um artigo de parceiros da STL, “sem dúvida, um data center de edge pode exigir menos energia para resfriamento, em relação à sua produção e tamanho. Isso é conhecido como resfriamento ‘gratuito’ e particularmente relevante em climas mais frios. Alguns racks de servidores (‘data center’ de edge) teriam uma área de superfície maior por servidor do que se o mesmo tamanho de rack estivesse sendo processado em um data center de hiperescala.”

Rede

Da mesma forma, a edge computing reduz os recursos necessários para o trabalho em rede, pois diminui o tráfego geral. Ao aproximar o processamento do local onde os dados são gerados ou requeridos, o tempo e a energia necessários para atender cada requisição é reduzido e a largura de banda é melhorada. Em resumo, isso torna a rede mais ecológica porque, conforme explicado pela LFE, “o alto consumo de largura de banda está ligado ao alto consumo de energia e altas emissões de carbono, uma vez que utiliza a rede de forma mais intensa e exige maior potência”.

Armazenamento

Finalmente, os dispositivos de armazenamento são hoje consideravelmente mais eficientes em termos de consumo de energia do que seus antecessores. Os data centers mais antigos e as CDNs geralmente usam um tipo mais ultrapassado de dispositivos de armazenamento chamados discos rígidos (HDD) que lêem e gravam dados usando um processo mecânico, ou seja, são armazenados magneticamente em discos giratórios. Já as instalações mais modernas (como as localizações de edge da Azion) usam unidades de estado sólido (SSDs) que armazenam digitalmente. Desta forma, as SSDs não apenas são mais rápidas e duráveis que os HDDs, mas também mais eficientes em termos de recursos. Conforme observado no relatório da Intel, “as SSDs normalmente usam menos potência, o que resulta em maior duração da bateria porque o acesso aos dados é muito mais rápido e o dispositivo fica inativo com mais frequência”. Com seus discos giratórios, os HDDs exigem mais potência quando inicializam do que as SSDs.

Como a Azion reduz o consumo de energia?

A Azion foi desenvolvida com base em modelos de serverless e edge computing, o que torna o consumo de energia mais eficiente. O Edge Application da Azion não apenas reduz a largura de banda por meio de medidas como otimização de imagem, cache eficiente e load balancer, mas também, nosso modelo serverless, elimina o desperdício de recursos ao escalar automaticamente para atender às necessidades. Ao executar workloads quando e onde são necessários, as empresas não precisam fornecer recursos em excesso para se prepararem para picos de uso. Consequentemente, tanto o meio ambiente quanto a empresa se beneficiam evitando o desperdício de energia.

Além de eliminar o desperdício de recursos e entrega a partir do edge, nosso produto de serverless computing, Edge Functions, reduz ainda mais o consumo de energia através de multitenancy e utilização de memória altamente otimizada. Em vez de utilizar uma solução baseada em contêiner para isolar funções, o Edge Functions usa o JavaScript V8, que usa sandboxing para fornecer um único ambiente de execução JavaScript para cada função. Isso garante segurança e isolamento para proteger contra vazamento de dados sem que haja necessidade de executar cada função em sua própria VM ou contêiner. Como consequência, há uma melhora significativa na eficiência do uso de energia porque não há necessidade de dividir recursos como CPU, I/O de disco, SO e memória em contêineres separados. Além disso, elimina a tarefa intensiva de processamento que param e iniciam os tempos de execução cada vez que uma função é requisitada.

Conclusão

À medida que a conectividade e o uso da internet aumentam, mais a eficiência em termos de energia se faz necessária no setor de TI. Os fabricantes de dispositivos, provedores de serviços, empresas digitais e usuários finais devem, todos, desempenhar um papel para ajudar a compensar e até mesmo reduzir o custo ambiental da tecnologia que consome cada vez mais dados. Ao acompanhar e promover o uso de energia renovável, aquecimento e resfriamento inovadores, hardware e software eficientes no consumo de energia e outras medidas de green computing, as empresas que produzem, consomem e processam dados podem garantir que as tecnologias de última geração ajudem a reduzir, em vez de aumentar, o consumo de energia. Resumidamente, quanto mais energia usamos, mais importante é termos consciência de que um maior consumo de energia vem junto com grande responsabilidade.