1 of 20
2 of 20
3 of 20
4 of 20
5 of 20
6 of 20
7 of 20
8 of 20
9 of 20
10 of 20
11 of 20
12 of 20
13 of 20
14 of 20
15 of 20
16 of 20
17 of 20
18 of 20
19 of 20
20 of 20

site

doc

blog

success stories

Blog

Duas soluções de edge computing que melhoram a experiência online em grandes eventos

Mega Festivais como Rock in Rio, Lollapalooza, ou eventos esportivos como a Copa do Mundo, Olimpíadas, Copa Libertadores ou NBA compartilham duas características: despertam grandes emoções e aumentam significativamente o tráfego online, seja nas plataformas digitais de transmissão ou de venda de ingressos.

Apenas a Copa do Mundo de 2022, no Catar, por exemplo, foi acompanhada por 5 bilhões de usuários por meio de diversas plataformas e dispositivos online em todo o cenário midiático[1], enquanto o Super Bowl LVI teve pelo menos 99 milhões de espectadores[2].

É nessas horas que a performance, segurança e escalabilidade de suas aplicações web são colocadas à prova.

Portanto, garantir experiência do usuário fluida, infraestrutura de TI escalável e performática, com latência ultrabaixa, e proteção contra ameaças de cibersegurança é um desafio para equipes de DevOps que atuam por trás das plataformas de streaming e das empresas que patrocinam os eventos.

Felizmente, o hoje temos meios eficazes de garantir a confiabilidade que esses contextos exigem. E neste post apresentamos duas soluções que, juntas, proporcionam todo o ferramental necessário para manter suas aplicações performáticas e resilientes até nos momentos mais desafiadores. Vamos a elas?

Load Balancer: distribua workloads para operações ininterruptas

Load balancing (balanceamento de carga) é um método de distribuição de tráfego de rede entre diferentes servidores e recursos de backend. Ao redirecionar o tráfego, o load balancer maximiza a performance e previne sobrecargas nos servidores.

Há diversos tipos de balanceadores de carga no mercado; da mesma forma, os níveis de flexibilidade também variam entre eles. Flexibilidade aqui se traduz no método de balanceamento mais eficaz para seus servidores, pelo qual se define como a carga será distribuída entre as origens.

O Load Balancer da Azion, por exemplo, usa um conjunto de algoritmos de distribuição para um balanceamento de carga adequado para cada cenário, composto por: IP Hash, Least Connections e Round-Robin.

IP Hash

Hash de IP é um algoritmo que rastreia os endereços IP dos usuários e associa uma origem específica a cada um deles, de modo que suas solicitações sejam direcionadas sempre para o mesmo servidor de origem, criando-se então uma atribuição constante entre origem e dispositivo final.

Least Connections

O Least Connections monitora as conexões ativas nas origens a fim de redirecionar a próxima requisição àquela que estiver com o menor número de conexões ativas no momento.

À medida que as requisições consecutivas deixam de ser redirecionadas às origens para serem entregues pelos servidores mais rápidos, a performance melhora substancialmente.

Round-Robin

Round-Robin é um algoritmo que garante uma distribuição uniforme do tráfego entre as origens em rotação, sem levar em consideração o tempo de resposta de cada origem, com foco no número de requisições.

Cada origem recebe uma carga proporcional ao peso atribuído a ela nos parâmetros de escalonamento, resultando em um balanceamento consistente mesmo se algumas das origens apresentarem lentidão ou acumularem muitas conexões em paralelo.

As características dos algoritmos de balanceamento de carga listados acima trazem a noção de como a flexibilidade pode ser determinante, uma vez que diferentes situações exigem abordagens específicas, as quais as organizações precisam ter à disposição.

Application Acceleration: melhore a performance e experiência do usuário

Complementando o balanceamento de carga, o Application Acceleration da Azion tem a capacidade de expandir as possibilidades de cache.

Para isso, o Application Acceleration habilita a otimização de protocolo nas camadas de transmissão e aplicação, a qual pode ser expandida a aplicações e APIs, e também:

  • construção de regras avançadas no Rules Engine para as etapas de solicitação e resposta;
  • personalização de políticas de cache para conteúdo dinâmico;
  • configuração de TTL (tempo de vida do cache) dos dados em cache com valores inferiores a 60 segundos;
  • suporte e cache de métodos HTTP para a aplicações no edge.

A função de Advanced Cache Key habilita a criação de regras de microcache (método que acelera o cache de conteúdo dinâmico por períodos de tempo mais curtos) baseadas em cookies ou query string.

Se necessário, você pode usar ambas as opções simultaneamente a fim de definir a segmentação de conteúdo das suas aplicações. Além disso, é possível habilitar novas opções e configurações no Rules Engine para personalizar as regras de negócios em suas aplicações.

Load Balancer e Application Acceleration: a combinação ideal para aplicações web mais rápidas e resilientes

O contraste entre casos de shows cancelados em função de quebra no sistema de venda de ingressos e sucessos de audiência retrata a importância da resiliência para as aplicações web.

Em um contexto de Black Friday, por exemplo, qualquer interrupção ou minuto de lentidão tem impacto no faturamento e ainda leva tráfego para sites concorrentes. E um meio de se preparar para esses grandes eventos é combinar as funcionalidades do Load Balancer com o Application Acceleration.

Os balanceadores de carga distribuem os workloads mais perto dos usuários finais, assegurando que os servidores funcionem com máximo desempenho. Enquanto isso, as otimizações feitas via Application Acceleration reduzem a latência e métricas de Core Web Vitals, como Largest Contentful Paint (LCP) e First Input Delay (FID).

Veja como a Omelete transmitiu um evento global sem interrupções durante 150 horas

Anualmente, a Omelete, um dos maiores sites de cultura geek do Brasil, realiza o CCXP (Comic Con Experience), o maior evento de cultura pop do planeta[3]. Em 2020, pela primeira vez, a CCXP teve a sua versão 100% digital.

Assim como os grandes eventos mencionados até aqui, a CCXP envolvia desafios complexos, como entregar conteúdo ao vivo com vídeos em alta definição para 193 países ao longo de 150 horas ininterruptas.

Para isso, a Omelete configurou suas aplicações na Plataforma de Edge Computing da Azion com diversas regras de cache via Application Acceleration, aplicadas também em suas APIs, e redirecionamentos sem necessidade de construir código.

Mais do que 100% de disponibilidade, a Omelete proporcionou uma experiência do usuário 15 vezes melhor com a entrega de conteúdo da CCXP Worlds, com mais de 10 TB de imagens carregadas no edge.

Se você deseja saber mais sobre como a Azion pode ajudar a gerenciar os picos de tráfego e acelerar seus aplicativos durante seus eventos, entre em contato com nossos experts agora mesmo.

Referências

[1] Fifa apresenta balanço sobre Copa do Mundo do Catar e apresenta novidades (G1) | [2] By 2026, could U.S. viewership of the World Cup exceed the Super Bowl? (San Diego Union Tribune) | [3] CCXP (Omelete&Co)