1 of 20
2 of 20
3 of 20
4 of 20
5 of 20
6 of 20
7 of 20
8 of 20
9 of 20
10 of 20
11 of 20
12 of 20
13 of 20
14 of 20
15 of 20
16 of 20
17 of 20
18 of 20
19 of 20
20 of 20

Blog

Como Edge Computing reduz latência em Aplicações Web

Como Edge Computing reduz latência em Aplicações Web

Ninguém gosta de esperar por nada – principalmente em nosso cotidiano corrido. É por isso que o momento entre o clique do usuário em um link e a exibição do site no navegador faz tanta diferença no sucesso de um site. Esses segundinhos (ou milisegundinhos) cruciais são chamados de latência, uma das métricas mais importantes para mensurar entregas de aplicações e performance de redes. Este artigo é para você que ainda não conhece o conceito ou quiser saber mais sobre como reduzir latência.

O que é latência?

Latência é o tempo que uma ação leva para ser executada depois de ser requisitada ou disparada. Por exemplo, se um usuário estiver fazendo compras online e clicar em “Adicionar ao Carrinho”, latência é o tempo que demora para o item aparecer no carrinho de compras do usuário. Alguns atrasos ocorrem por questões do lado do usuário, como bandas lentas ou equipamentos antigos, mas outras são causadas pela rede ou pela aplicação.

  • Latência de rede: o tempo que leva para os dados irem e voltarem do servidor depois de uma requisição;
  • Latência de aplicação: o tempo que leva para a aplicação executar requisições dentro do servidor.

Por que é importante reduzir a latência?

Os usuários de hoje estão cada vez menos tolerantes com quaisquer atrasos enquanto usam aplicações ou navegam na internet. Como resultado, esperas muito longas podem levar usuários a abandonar sites com antecedência, levando à redução de visualizações de páginas, vendas e conversões.

Além disso, o Google usa latência como um dos fatores em seu ranking de SEO, priorizando sites que entregam melhores experiências ao usuário. No mais, latência pode limitar a produtividade de uma empresa, tornado tanto os usuários quanto os dispositivos menos eficientes.

  • aumenta visualizações, conversões e vendas;
  • melhora o posicionamento de SEO;
  • valoriza a experiência do usuário; e
  • garante mais eficiência no trabalho.

Por fim, reduzir a latência pode causar enorme impacto nas contas, fazendo com que seja crucial para as empresas reduzirem as latências de rede e aplicações ao mínimo possível.

O que causa latência?

Muitos fatores podem desacelerar a jornada dos dados por meio da rede – do mesmo jeito que distância e velocidade não são os únicos fatores que afetam o tempo para conduzir um veículo de um destino a outro. Para motoristas, trânsito, obras, trajeto escolhido e qualquer outra parada no caminho podem atrapalhar. De modo semelhante, a congestão da rede, a má saúde do equipamento, roteamentos insuficientes e número de hops (dispositivos intermediários por onde os dados passam para chegar aos respectivos destinos) podem aumentar a latência da rede.

Além disso, quanto maior o site, maiores são essas questões. Isso acontece porque conteúdo personalizado, imagens de alta definição, aplicações de terceiros e vídeos necessitam de várias viagens ao servidor para o carregamento, resultando em um aumento exponencial de latência.

Muitos dos fatores que contribuem para a latência podem ser otimizados individualmente, mas seu impacto pode ser diminuído significativamente quando reduzimos uma única variável: distância. Redes de entrega de conteúdo – Content Delivery Networks, ou CDNs – reduzem latência ao fazer caching de dados em locais estratégicos para amenizar a viagem de ida e vinda até os usuários.

Como a Azion reduz a latência?

A Azion ajuda a reduzir latência usando Edge Computing. Edge Computing é como uma CDN no sentido que move dados para mais perto do usuário final. No entanto, diferentemente de CDNs tradicionais, os Edge Locations da Azion combinam data centers com um ambiente de TI que pode cumprir as funções computacionais, como seu próprio código, caching dinâmico de conteúdo, aceleração de APIs ou otimização de imagens sob medida para vários dispositivos e tipos de navegador.

Além disso, a Azion maximiza a eficiência de entrega de conteúdo com um modelo de computação serverless. É fácil entender como mover servidores para perto dos usuários reduz latência, mas descobrir como fazer isso pode ser uma tarefa difícil. Com o tempo, os padrões de uso podem mudar de forma difícil de prever. Sem conhecimento claro de quando e onde essas mudanças ocorrerão, empresas precisam escolher entre gastar dinheiro para subutilizar recursos ou arriscar baixo desempenho devido à sobrecarga de servidores.

Por sorte, a computação serverless da Azion oferece uma forma de se esquivar dessa dor de cabeça. Com a computação serverless, empresas pagam apenas quando a aplicação roda, eliminando a necessidade de servidores configurados com antecedência. Além disso, a Edge Functions permite às empresas quebrarem aplicações monolíticas em funções discretas, cada uma para um propósito específico, executando automaticamente em resposta a eventos no Edge. Porque essas funções são pequenas e leves, o tempo de processamento – e as despesas – para executá-las diminui significativamente.

Conclusão

Serverless e Edge Computing são a combinação perfeita, facilitando para empresas minimizarem a latência de rede ao guardar dados e processar requisições o mais próximo possível dos seus usuários finais, sem necessidade de empresas para configurar servidores com antecedência. Além disso, a plataforma de Edge Computing da Azion fornece uma gama de produtos para melhorar a segurança, oferecendo observabilidade, e garantindo que aplicações e sites rodem da maneira mais eficiente possível.